SOBRE AA

PREÂMBULO DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS é uma irmandade de homens e mulheres que compartilham, entre si, suas experiências, forças e esperanças, a fim de resolver seu problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo.

O único requisito para ser membro é o desejo de parar de beber. Para ser membro de A.A. não há taxas ou mensalidades, somos autossuficientes, graças às nossas próprias contribuições.

A.A. não está ligada a nenhuma seita ou religião, nenhum movimento político, nenhuma organização ou instituição; não deseja entrar em qualquer controvérsia; não apóia nem combate quaisquer causas.

Nosso propósito primordial é mantermos-nos sóbrios e ajudarmos outros alcoólicos a alcançarem a sobriedade.

A História do AA Cearense

Em 1962, o médico cearense Vinício M., em convalescença e ainda afastado temporariamente das suas funções profissionais por licença de saúde para tratamento de desintoxicação hospitalar em clínica na cidade do Rio de Janeiro, concentra a sua atenção em matéria da Revista Brasileira de Medicina e envia correspondência para o General Service Office – G.S.O., em New York (EUA), tornando-se assim o primeiro ‘membro solitário’ de A.A. com endereço completo em Fortaleza, capital do Estado do Ceará, conforme consta no Catálogo Mundial (World Directory), então editado anualmente pelo G.S.O.

Inscrito no Catálogo Mundial, Vinício M. passa a receber visitas de AA’s estrangeiros e brasileiros, de passagem por Fortaleza. Seu endereço tornou-se ponto de referência para os viajantes da Irmandade.

Em setembro de 1966, houve uma tentativa para formar o primeiro grupo de A.A. em Fortaleza – propósito de um companheiro que chegara a Fortaleza, vindo de Alagoas. Porém, realizadas as duas primeiras reuniões, em 16 e 17 de setembro de 1966, uma compulsão atingiu o companheiro visitante que retornou a Alagoas, continuando o companheiro Vinício na condição de ‘membro solitário’.

Em 3 de outubro de 1967, ingressa em A.A., no Rio de Janeiro, o companheiro cearense Gladstone. Ao retornar a Fortaleza, Gladstone entra em contato com Vinício. Trabalhando juntos, levam a mensagem de A.A., notadamente no centro de Fortaleza. No dia 27 de junho de 1968 foi realizada, no auditório do Centro de Saúde, então existente na Praça José de Alencar, uma reunião pública, quando compareceram 20 pessoas e demarca a formação do GRUPO CENTRAL FORTALEZA, ainda hoje em pleno funcionamento, agora, na avenida Duque de Caxias, 137, 2°. Andar, sala 207, centro, depois de funcionar em vários endereços, sempre no centro da capital cearense.

Após a sua formação, as reuniões de recuperação do GRUPO CENTRAL FORTALEZA prosseguiram no porão do Hotel da Dona Raimundinha, no centro Fortaleza, nas quartas-feiras e sábados, onde ingressaram vários companheiros pioneiros na história do A.A. no Ceará.

No início, os companheiros contavam com literatura escrita em inglês e espanhol, inclusive exemplares do “Box 4-5-9”, vindo do G.S.O. para o até então ‘membro solitário’.

Em agosto de 1968 chega ao Grupo o companheiro Chico da Marinha. Trouxe consigo, vasta literatura de A.A., traduzida para o português pelos companheiros cariocas. Este material, somado a experiência do companheiro recém chegado do Rio de Janeiro, foi providencial. O Grupo contava também com folhetos impressos em português, distribuídos gratuitamente com os Grupos brasileiros pelo “A.A. World Service” e posteriormente, com o material distribuído pelo CLAAB – Centro de distribuição de Literatura A.A. para o Brasil, fundada em setembro de 1969.

Em 15 de março de 1969, foi formado, a partir do trabalho dos companheiros do Grupo Central Fortaleza, o primeiro grupo de A.A. no interior do Estado do Ceará – o Grupo Central Baturité – em Baturité, cidade distante 90 km de Fortaleza. Posteriormente, pelo trabalho contínuo dos companheiros pioneiros, surgiram outros Grupos em diversas cidades do Interior e na capital cearense.

Desde o início, o A.A. no Ceará contou com o valioso apoio da Imprensa. Uma pequena reportagem feita no Jornal “O POVO” em janeiro de 1969, sob o título de “Evite o Primeiro Gole”, marca o início desta importante colaboração. Em setembro do mesmo ano, foram impressos 5000 folhetos com diferentes mensagens de A.A. para distribuição em locais públicos. A rádio Verdes Mares divulga o material e repassa o conteúdo para outras emissoras. Desde então os Alcoólicos Anônimos no Ceará, conta com o apoio inestimável e imensurável da imprensa falada, escrita, televisada, através dos muitos amigos incentivadores do trabalho da Irmandade, sempre respeitando as nossas tradições, notadamente referente à preservação do nosso anonimato.

A Irmandade de A.A., conta também, desde o início com o incentivo e colaboração da classe médica que nos ajuda na divulgação do Programa de Recuperação de A.A., e muito colabora para o crescimento da nossa Irmandade. Citamos como marco desta mútua colaboração, a concessão do local de funcionamento do “Grupo São Gerardo de A.A.”, instalado em 1972, nas dependências da casa de Saúde São Gerardo. Hoje A.A. mantêm presente a sua mensagem do programa de recuperação, em diversas instituições de tratamento, notadamente nas reuniões realizados por estes profissionais de saúde, junto aos internos, quando AAs participam como colaboradores. Vale lembrar a importante contribuição desses profissionais nos nossos Seminários e Reuniões de Informação ao Público.

Quem conhece a História e a Literatura de A.A., sabe bem que o nosso Programa é fundamentado em princípios espirituais. Portanto, a ajuda religiosa sempre foi bem-vinda. Padres e Pastores se revezavam em nossas reuniões de caráter público, desde o princípio. Muitas Paróquias de Fortaleza até hoje, cedem os seus salões para as nossas reuniões. Não se pode medir o auxílio da Religião, em nossa tarefa de passar adiante a mensagem de A.A.

Idealizado por alguns dos companheiros, a criação de um Escritório de serviços Locais se tornou consolidada a partir do 1° Encontro de A.A. no Ceará, realizado em abril de 1974. Em 06 de junho de 1974 foi instalado o Escritório de Serviços de A.A. do Ceará (ESAAC), quando já contávamos com mais de dez grupos, havendo, desde então,uma expansão de grupos na capital e interior.

Em 1982 Fortaleza foi sede da VII Convenção Nacional de A.A., quando os grupos iniciaram a prática de Reuniões Temáticas e Reuniões Literárias.

Em 1984 formaram-se os primeiros Comitês de Distritos que fortalecidos foi possível a instalação do Comitê de Área no ano seguinte.

Em 2001 unificaram-se a estrutura de Serviços Gerais (Área / CDs) e a estrutura de Serviços Locais (ESLs) existindo hoje escritórios em Fortaleza (SEDE), Maracanaú e Juazeiro do Norte.